Espaço Saúde

SBC INICIA A DIRETRIZ BRASILEIRA DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCARDIO - 2012


Em trabalho conjunto e pioneiro, a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), a Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (SBCCV) e a Sociedade Brasileira de Hemodinamica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI) vão somar esforços para elaborar as “Diretrizes Brasileiras de Revascularização Miocárdica - 2012 e ainda um documento com a proposta de normatizar a indicação de STENTS no Brasil.

A informação é do presidente da SBC, Jadelson Andrade, que reuniu na sede da SBC/São Paulo os presidentes da SBCCV, Walter Gomes Jr, da SBHCI, Marcelo Queiroga e que se fizeram acompanhar dos diretores científicos das respectivas sociedades, Luis Alberto Piva Mattos (SBC), Fabio Jatene (SBCCV) e Pedro Lemos (SBHCI). O objetivo da histórica reunião foi o de criar um conceito de maior interatividade entre a SBC e estes dois importantes departamentos com objetivo de delinear ações conjuntas a serem desenvolvidas nos próximos dois anos de interesse dos seus associados.

Dentre os assuntos discutidos foi aprovado a proposta de elaboração conjunta pelas três instituições da Diretriz Brasileira de Revascularização do Miocardio – 2012.

É propósito que esta diretriz que pela primeira vez será elaborada dentro deste contexto, possa ter o mesmo impacto para a cardiologia brasileira e de toda a America Latina que a recente Diretriz de Revascularização publicada pela ESC obteve na Europa.

Na reunião foi aprovada a composição do corpo editorial da Diretriz que será composto de membros da SBC, SBHCCV e SBHCI cuja temática e composição do corpo de trabalho será enviada ao conselho de Diretrizes da SBC para aprovação e liberação do inicio das atividades.

Em paralelo a construção da diretriz foi igualmente aprovado a elaboração de um documento a ser enviado ao Ministério da Saúde e Agencia Nacional de Saúde (ANS) contemplando a normatização da indicação dos “STENTS” no Brasil como uma importante contribuição destas instituições acerca da aplicação deste relevante instrumento terapêutico para tratamento das Síndromes Coronarianas.

Neste documento afirmam os editores estarão definidas claramente a indicação dos “Stents” eluidos e não eluidos e que será utilizado como importante parâmetro de conduta para todos os cardiologistas brasileiros e onde poderão ser observados pelas seguradoras e órgãos públicos, todos os critérios de indicação, contribuindo definitivamente para agilização na sua liberação quando indicados, favorecendo a rápida resolução do quadro clinico dos pacientes, com impacto na redução da morbi-mortalidade cardiovascular por doença isquêmica do coração no Brasil.

A primeira reunião do Grupo de trabalho dos organizadores e editores da Diretriz ocorreu na sede da SBC SP. Na oportunidade foram formatados os temas que comporão as diretrizes, distribuídos os temas pelos editores que serão os coordenadores dos grupos de trabalho, e aprovada a agenda de trabalho.

A meta é que a Diretriz fique pronta para ser apresentada no Congresso Brasileiro de Cardiologia em Recife

Composição do grupo de organizadores e editores da Diretriz Brasileira de Revascularização do Miocárdio:

Coordenação Geral: Jadelson Andrade (BA) e Luiz Alberto Mattos (SP)
SBHCI: Marcelo Queiroga (PB), Pedro Lemos (SP) e Alexandre Abizaid (SP)
SBCCV: Walter Gomes (SP), Fábio Jatene (SP), Ricardo Lima (PE)
SBC: Antonio Carlos Palandri Chagas (SP), Gilson (BA) Roberto Esporcatte (RJ)